Voltar à pagina inicial
 


:. Bem Vindo ao site do Sindicato, Paracatu-MG
,

 
:. Noticia
 

Data base
ACORDO PARA CONSEGUIR COMER, SLÁRIOS DEFASADOS NÃO SUPORTA O CUSTO DA ALIMENTAÇÃO
sem imagem

Os trabalhadores aguardam com ansiedade a continuidade das negociações do Acordo Coletivo de Trabalho 2022 com a Kinross. Desde a última reunião, quando apresentou uma proposta de 8% de reajuste salarial, R$ 1.677,00 de abono de férias e abono único de R$ 838,00, a empresa permanece longe da mesa de negociações, mas vem fazendo um trabalho interno, distribuindo aos trabalhadores informativos sobre as condições que pratica em termos de salários e benefícios.

Ao mesmo tempo em que a Kinross nega a reivindicação dos trabalhadores por ganho real, a empresa argumenta que só pratica aumento por mérito, mas a proposta inicial da empresa representa perda de valor real nos salários, pois o INPC acumulado para data-base de 1º de fevereiro foi divulgado pelo IBGE em 10,6%, enquanto a empresa oferece apenas 8% de reajuste. Ou seja, não concorda com ganho real, mas quer praticar arrocho, não repassando a inflação integral do período.

Os trabalhadores não obtiveram da Kinross qualquer aceno de possibilidade de concessão de um cartão alimentação, considerada uma das reivindicações mais importantes da pauta aprovada pela categoria, diante da grande evolução de preços de gêneros alimentícios. O direito ao cartão alimentação é praticado em todo o País, para dar sustentabilidade alimentar para as famílias. O Dieese divulgou o custo da cesta básica de janeiro/2022 com valores explosivos: o maior custo é registrado em São Paulo (R$ 713,86). Em Belo Horizonte a cesta básica custa R$ 632,83. O Dieese informa ainda que o trabalhador que recebe um salário mínimo compromete-o 55,2% para comprar a cesta básica, ou 11 horas e 46 minutos de trabalho. Em apenas um exemplo da escalada de preços, 1 kg de café já é vendido entre R$ 35 a R$ 40. Outros produtos também tiveram reajustes escandalosos e fica cada dia mais difícil o trabalhador alimentar a família.

Enquanto a Kinross não se sensibiliza em conceder um valor de cartão alimentação, outras empresas praticam o direito: R$ 860,00 mensalmente na Vale, além de créditos extras de R$ 600,00 em função de Covid; R$ 844,00 na Samarco; R$ 3.200,00 na Alcoa (dois créditos de R$ 1.600,00 em fevereiro e julho); R$ 548,56 na MRN; além de terceirizadas da própria Kinross com valores acima de R$ 400,00.

          

[+] Veja mais noticias              Voltar para página inicial

 
 
 
ir